Os cristais podem ser usados em jóias, contribuindo assim para a nossa clareza mental, estabilidade emocional e equilíbrio físico. Andar com algum cristal como amuleto ou jóia é uma das técnicas mais simples e eficientes de tirar proveito da sua força curativa

Durante milhões de anos, as gemas foram sendo usadas nos dedos da mão, ao pescoço, nos pulsos, no umbigo e no 3º olho, no cabelo, nos dedos dos pés e no nariz. Desde que o Ser Humano pensou em adornar-se, foram sendo usados os cristais e as pedras mais belas na elaboração de jóias. Os Egípcios utilizavam o Lápis-Lazuli, a Cornalina e a Malaquite; os Incas a Esmeralda; os Chineses o Jade e os Índios Americanos a Turquesa. Estas civilizações conheciam o poder curativo das pedras e o utilizaram conscientemente em aplicações específicas. Alguns soberanos de grandes impérios usavam coroas com cristais sagrados para que governassem o seu povo com sabedoria. Levavam-se algumas pedras em determinados dedos para canalizar certas energias e influencias. As bailarinas da dança do ventre levam no umbigo rubi e pedras de cor vermelha para despertar o interesse sexual dos espectadores.

Os Astecas, por sua vez, levavam pedras no centro do 3º olho para que a consciência permanecesse harmonizada com Deus. Também se usaram colares de gemas pendurados até a zona do peito para estimular o chakra do coração, infundindo à pessoa amor e compaixão. E, por último, em pendentes, estimulando os reflexos relacionados com as outras partes do corpo.

Perdemos uma grande parte do conhecimento das motivações autênticas da joelharia.Originariamente, considerava-se que a pedra era o veículo de certas energias e usava-se para que transmitisse uma influência específica. Por vezes, as atávamos ao pescoço, aos pulsos, na cabeça e nos tornozelos, com corda ou barbante, pois do contacto permanente com o corpo resultavam efeitos duradouros. Novamente e desde há pouco tempo, numerosas pessoas entendem que certa combinação de pedras, seguindo desenhos estudados, trazem rejuvenescimento e efeitos curativos.

RESUMINDO: Quando as jóias se desenham e se usam conscientemente com um propósito terapêutico, são obras de arte que fortalecem ao seu dono. Ao usar cristais e jóias feitas com cristais, esta energia funde-se com a aura ou campo electromagnético do ser humano. A Luz dá a sua resposta à pedra; logo, as vibrações das suas cores penetram reflectidas na aura; o aumento das frequências de cor dissipa ou neutraliza o stress psíquico e emocional. O incremento de energias saudáveis e de força luminosa em volta do corpo proporciona equilíbrio e poder.

A criação de uma jóia não serve só pela sua beleza cósmica, mas também para que utilizemos conscientemente suas propriedades terapêuticas e outros dons armazenados no cristal. Estas obras de arte, todas únicas, convertem-se em objectos íntimos de poder, elevando-nos a estados superiores de consciência e facilitando o êxito de objectivos pessoais.