Foi “mágica” a escolha do Livro Do Dia de hoje intitulado “A Sabedoria do Mago” de Deepak Chopra.

Abri a página 100 do livro e li o título “Compreender a Lição”….ri-me ao ler o título e debrucei-me sobre a lição do dia de hoje. Sublinhei aquelas partes que considero as mensagens mais importantes para o dia de hoje…. Então diz assim:

“A alquimia é a arte da transformação. Segundo os ensinamentos dos magos, o propósito da existência dos segredos da alquimia é transformar o estado de sofrimento e ignorância dos mortais num estado de iluminação e beatitude. Merlim disse:

  • A alquimia está sempre a acontecer. Não podes deter as transformações que acontecem nos diversos níveis de vida. É na tua transformação que eu estou interessado. Em comparação com essa, transformar chumbo em ouro é perfeitamente trivial.

A alquimia é uma busca, e a busca é sempre a mesma: a da perfeição. Da mesma forma que o ouro é o mais perfeito dos metais porque não é corruptível, a perfeição num ser humano está relacionada com a libertação do sofrimento, do medo e da dúvida.

  • E se os seres humanos não conseguirem aperfeiçoar-se? Se formos tão fracos e imperfeitos como parecemos? – questionou Artur.
  • O segredo não tem que ver com aquilo que pareces ser – esclareceu Merlim -, mas com a profundidade a que te propões olhar.

A busca é uma viagem pessoal, que evolui passo a passo. (…)

  • Já te disse muitas vezes que este invólucro de carne e osso não é o teu corpo, e que a personalidade limitada que experimentas não corresponde ao teu verdadeiro ser. O teu corpo real é infinito e Uno com o Universo. (…)
  • (…) Um mapa de nada te serviria no lugar para onde vais, porque o território da tua viagem está em constante transformação. Seria como fazer um mapa para a água em movimento.

Quando você aceita que é o fluxo da vida, e nada menos do que isso, a procura da perfeição passa a situar-se numa dimensão ilimitada. No seu interior, os aspetos perfeitos são a essência, o ser e o amor, e estes não podem ser limitados pelo espaço e pelo tempo. (…) A essência, o ser e o amor que compõe cada ser humano têm uma vida própria que começa e acaba na mesma consciência invisível.

  • Eu vejo-te como uma nuvem de energias – disse Merlim a Artur (…)
  • Que tipo de energias? – perguntou o rapaz
  • Chamemos-lhe luz e sombra que brincam em redor da tua forma à medida que pensas e sentes. A luz muda consoante estás feliz ou triste, ou inspirado, ou cansado,ou entusiasmado, ou aborrecido. Alguns mortais passam por este mundo como luzes brilhantes, e outros como sombras mortiças, mas por mais brilhantes que as luzes possam ser, nunca serão tão reais como o silêncio do teu interior.
  • Por que razão não me vejo como tu te vês? – quis saber Artur
  • Porque essas energias também são máscaras. Algumas são densas, algumas mais leves, e não existem duas pessoas que as tenham idênticas. De qualquer forma, todos os seres têm o aspeto de nuvens andantes. Enquanto não te libertares das várias camadas que recobrem a tua alma, não conseguirás ter acesso ao núcleo eterno que se encontra no centro do teu ser.”