Minha amada filha, ao olhar para trás para este ano de 2012, o mínimo que eu posso dizer é que foi desafiante, tanto para mim como para ti.

Ambas vivemos situações de separação da pessoa que amamos e essa é uma dor que custa a sarar. Hoje escrevo esta carta para ti meu anjo para pedir-te PERDÃO!

Perdão por fazer-te sofrer; perdão por gritar contigo quando não tenho paciência;  perdão por não dar-te toda a atenção que mereces quando mais precisas; perdão por não estar ao teu lado a ouvir-te embora estejamos ambas na mesma sala; perdão por algumas vezes não ser criança e rir-me de alguns disparates que cometes; perdão por deixar passar a vida ao lado e não aproveitar cada minuto que tenho contigo.

Às vezes estou tão focada em mim, na minha própria evolução e auto-conhecimento que me esqueço do papel que escolhi que é ser Mãe. A maioria das vezes enfrento um dilema entre ser a tua Mãe e ser a Mãe da Humanidade. Acredita que não tem sido fácil para mim. Eu amo-te, tem a certeza disso. No entanto, eu também me amo e amo o que eu faço e amo as pessoas. Muitas vezes sinto-me dividida quando vivo desafios pessoais como o que estou a atravessar agora. Dividida pois, embora queira estar contigo, preciso muito estar sozinha, preciso de tomar consciência da situação que estou a viver e preciso de tempo para mim para ultrapassá-la. Sabes meu anjo, um dia vais entender estas palavras…..

Eu necessito sentir-me equilibrada e em paz comigo para poder dar o melhor de mim para ti. Só assim, é que pode haver harmonia. Podes chamar-me egoísta….e eu respondo-te que sim! Egoísta ao ponto de querer curar-me e não querer mais passar-te toda a minha frustração, tristeza, mágoa, através da minha falta de paciência e falta de presença física e emocional quando estou ao teu lado. Ninguém merece ser o caixote de lixo de ninguém!

Tenho apreendido a perdoar-me também. Perdoar-me por assim como tu, estar a evoluir e a conhecer-me, e esse processo passa pelo erro e pelo falhanço. Ainda estou a apreender a não culpar-me por ser quem sou, por agir como ajo, por amar como amo. Estou a apreender a aceitar-me como pessoa com qualidades e defeitos, a aceitar que faço o melhor que posso em todas as situações, embora algumas vezes pense que poderia fazer mais.

Estou a  apreender a não julgar-me tanto e a amar-me cada vez mais, para assim não magoar as pessoas que amo com os meus medos, minhas carências, minhas inseguranças.

Nesta carta também queria pedir perdão a uma pessoa muito especial que está na minha vida. Perdoa as minhas inseguranças, acredita que estou a fazer o melhor que sei e que estou totalmente consciente do meu comportamento e que a cada dia que passa faço um bocadinho mais para melhorar e curar-me. Mas isso requer paciência, tudo tem o seu ritmo e o seu tempo.

Quero também pedir perdão aos meus pais. Papá, perdoa-me! Perdoa todo o sofrimento que te fiz passar, as palavras mais amargas que proferi e muitas vezes a indiferença que te fiz sentir. Tu foste e ÉS uma fonte de inspiração para mim. Todos os meus comportamentos apenas refletiam a falta de amor que sentia e falta de reconhecimento. E isso não quer dizer que não me tenhas amado, apenas quer dizer que eu vivi essa experiência de ser tua filha de outra forma, e a senti e a percepcionei de forma diferente à tua. Mas esta tudo certo! Eu AMO-TE DE CORAÇÃO! Mamá, perdoa-me também os momentos menos bons que te fiz viver. Apenas desejava o teu amor, carinho e afeto. Sabes, um dos cursos que dou fala que a falta de amor ou de nos sentirmos amados é a única razão de todos os males do mundo. Sou obrigada a concordar!

Filha, guarda esta carta com muito amor. Ela servirá para lembrar-te que és um ser maravilhoso, que deves ser paciente contigo, que deves amar-te exatamente como és e que estás a fazer o melhor que sabes. Mas que a cada dia que passa irás conscientemente melhorar e tornar-te esse ANJO, esse SER DE LUZ que tu ÉS em essência, e aí a tua luz irá iluminar ainda mais o teu caminho, brilhando com uma luz tão linda que as palavras não podem descrever….